Life in a nutshell

|



Sempre gostei de ler
Mas sem nunca ter pressa
Não gosto de saltar para o fim
E saber o final sem ler o que está pelo meio
Pois isso estragava o livro
Tal como a vida
Não gosto de imaginar o final
Para desfrutar o que ta a ser a vida
Não que por vezes não imagine
Tal como quando leio o livro
Mas não tenho pressa de virar a pagina
Nem fixar no que esta para vir
Saboreio o guião tal como foi escrito
Tem bem mais piada assim
Até porque na vida
As paginas seguintes estão em branco
E nessas só escreve quem eu quero
Mas também quando essas pessoas querem
Por isso não tenho pressa
Pressa tenho as vezes ....como hoje
Que chegue o fim de semana.
Se já ta escrito .. ainda não
Mas vai ser escrito..por mim também.
.
.
.


Só porque sim

|


Falta me te dizer
Que mesmo em dias de sol
As emoções que me saem pelo olhar
Os instintos que me remexem a pele
Nem sempre arranjam vida para dar as palavras que digo
Gostava que um dia me visses
Quando as emoções vencem a batalha da angustia
Por vezes falta o abraço de ganga costurada
Quando o que devia dizer era
Preciso-te.
Mas isso é um cenário que agora não é real
Não me falta hoje o ar pela tua ausência
Pois me das vida em cada canto em que passo
E em cada canto que te penso.
Hoje não preciso de te ver
Apenas de te dizer
Até já meu amor.
.
.

Sonhar acordado

|


Existem dias
Que fico simplesmente a observar as árvores que dobram com vento
Outros dias
Como hoje quase que vejo a forma como elas se dobram para apanhar o sol
Mas enquanto vejo este sol quente cair sobre elas
Penso mas porque?
Preferia observar as linhas das tuas mãos
Os ondulares do teu cabelo
E a luz dos teus olhos
Sem pensar no passado
Nem no futuro
Apenas no agora
Porque por vezes um habito é apenas isso mesmo
Outras é tudo que da sentido as rotinas
E tornam tudo bem mais agradável.
Agora fecho os olho
E vejo a tua cabeça cair leve no meu peito
Enquanto te fecho os olhos com a ponta dos meus dedos
E aprecio o sol bater em nós...
.
.
.

Reminiscências de falhar

|



Parece que ando sempre atrasado
Para o tempo que devia ter sido antes
Mas não posso desatar este nó de garganta
Dos dias que gastei que podia ter guardado
Em que podia ter escolhido outra coisa
Mas hoje o dia esta sereno
Tal como eu
Que nem me quero preocupar
Hoje esta demasiado sereno para te dizer que te amo
Hoje esta sereno demais
Para ter tempo para pensar que me fazes falta
Hoje olho para trás
E vejo que quanto mais te conheço
Mais me apaixono
Que mais parece um vicio
Que quanto mais tenho mais quero
Hoje esta sereno o suficiente
Para te dizer
Sabes podes não ser perfeita
Mas amo te como tal
Podes ter os teus defeitos
Mas acolho os igual como as tuas muitas virtudes
Hoje esta sereno o dia para dizer
Preenches me.
.
.

falhar

|


Num pequeno relance sobre o meu próprio olhar
Percebi por entre o sol que passou
E a luz da lua que se esconde
Que esta chuva nada mais é que um lavar
De tanta coisa ...contra as marés da vida
Fazem me pensar em tanto
Remorder os lábios em busca de um abraço
Cerrar a cara a espera de um beijo
O fervilhar do sangue a espera do teu sorriso
O cerrar de punhos enquanto espero o teu doce toque
Mas porque é assim
E hoje é sexta
Nem um anjo me elevaria o coração
Apenas tu.
Mas fui eu que te deixei cair
Mesmo assim não o deixaste partir
Ainda bate bem forte por ti
Mas já não mereço que o segures
Pois é na pior tempestade que por vezes
Um simples abrigo..por mais curto que seja
Dá um conforto enorme
E eu não estive nessa tempestade.
..
.
Agora resta me chorar um rio.
.
.

Viajar de coração em 1ª classe

|



Adoro estes acordares já primaveris
Onde viajo até ti
E regresso de sorriso aberto
Desenquadrado de realidade estes acordares
Mas ainda assim são tão especiais
Ou então viajar ate na memoria
E sentir a areia e o sol do teu abraço
O toque matinal do teu rosto
Desembaraçado de palavras e repleto de sentimento
Ou então viajar para um futuro que não existe
E adorar a bagunça de loiça por arrumar
A mesa por limpar e a cama por fazer
Só porque é domingo
E a nossa preguiçite aguda sucumbe ao sofá
Podia viajar tanto
E viajo até nestes nevoeiros de mente
Sei bem o que me custa quando te afastas
E com ele levas o nevoeiro
Fica só a chuva
Quando o que quero e pegar na tua mão
Olhar para o céu do teu olhar
E dizer te para sempre.
Seria a melhor viagem da minha vida
Para já contento me quando te faço sorrir
Pois é ai nesses momentos
Que eu mais me sinto feliz.
.
.



O 3º acto

|



Preso numa plateia onde o espectáculo é noite
E por mais que o palco mude
O que sinto parece que não encontra os actores
Por mais que queira acreditar em mim
É nas minhas duvidas que acabo por me levantar
Desato o laço da cadeira
Não preciso mais dela
Preciso de apanhar ar de mim
E me encontrar numa qualquer rua mal iluminada
Vejo que por ela escorre a geada já liquida
Corre para o mesmo teatro
Mas lá sentia uma falta de ar imprevisível
Sei que tenho de lá voltar
Nem que seja mais uma ultima vez
Para ver o fim da peça
Porque despertou o que achei já morto
E me fez aplaudir tudo que me fez vibrar
Enquanto caminho nesta viela
Percebo pelos neons meio fundidos que prefiro parar
E mesmo antes de voltar para o 3 acto
Perceber se a questão maior da peça é
Se transmitem o que vai dentro do enredo
E não deixar o exterior ficar dentro
Pois o que caminha comigo é apenas eu sim
Mas também o mais interno de alguém
A nossa melhor parte
E também por vezes a pior...o resto é teatro.
...
Sempre preferi opera
E então volto para o teatro
Nem que seja para ver junto a porta.
.
.


Acordar acordado.

|



Visto uma roupa estranha de mim
A rua esta deserta de pessoas que quero ver
Mas uma vez que hoje não chove
O lago estranho que me beija os pés
Não me mostra hoje o meu reflexo
E ainda bem
Pois quero apenas ouvir o reflexo da minha voz
Solitária e ainda assim determinada
A ter certos dias de sombra
Não existe uma razão
Talvez me falte a fadiga de um corpo
A critica de uma voz
Talvez por saber que não existe outra pessoa como tu
E com esta voz solitária
Caminho sabendo que um 6 também pode ser um 9
Mas no final isso pouco importa
Sou demasiado tímido para te roubar um sorriso
E demasiado desconfiado para mostrar me todo, em vez de cacos...
O dia abraça me agora
E com ele o frio de inverno
Eu sem a roupa que gosto tanto de vestir
Apenas uma que não me abriga...
.
.


dispautério matinal

|


Gosto de ser inundado pelo teu sorriso
Ser sufocado pelo teu olhar
Fascinas me o espírito e fadigas me em saudades
Porque te conheço e pelo que não te conheço
E porque és única
E tanta aventura numa só pessoa
Surpreendes me a alma
Deixas que te adivinhe a tua
Porque te deitas no meu pensamento
E me levas a lugares felizes
Outras sentas te no meu ouvido
Enquanto vagueio em lugares mais sombrios
Porque és do tamanho do mundo
Mas que ainda assim me sinto em casa contigo
Porque me brilhas por onde quer que vá
E me ardes por dentro mesmo parado no meu mundo
Também porque saudades não são um castigo
Mas sim um ninho de paz , liberdade e sonhos por realizar
Acima de tudo
Porque me enches o meu coração
Sem que eu tenha de ter o teu nas mãos.
Dispautéras-me
.
.

Engomas me o pensamento

|



Hoje acordei e ouvi o barulho da saudade
Na falta que é não ter o sorriso despenteado
O coração por secar
A boca por estender
E os olhos por arrumar
Que teimam em se perder nos teus
Gosto da delicadeza no teu olhar
Sempre que me fazes sentir assim
Vivo e desajeitado
Mas hoje é dia de voltar acordar assim
Com esta vontade toda embrulhada cá dentro
Talvez me falte apenas um beijo aberto
E um abraço apertado teu
Ou bem mais provável
Sinto mesmo é a tua falta.
De ti e de todo teu eu.
.
.

Sorriso

|



Gostava de te libertar esse sorriso
Para que as estrelas o vissem
Como se um vislumbre de paraíso fosse
Cair sobre a terra nocturna...
Respirar esse teu sorriso
Que é um misto de alegria e calma
Suspenso agora do meu olhar
Que apenas me lembro
E me faz girar o meu mundo
Que me faz ver alem do que o coração faz
Me faz ouvir vozes que me levam para ti
Numa espécie de encantamento
Que penetrou bem fundo em mim
E para ti me guiam a cada passo
Por isso quero libertar esse sorriso novamente
Incendiar este vento frio de inverno
E aquecer no teu olhar
...
sonhos de um amor encantado e longe
Onde sou apenas o satélite orbitante.
.
.



Foto: http://imaginevoceeoidolo.blogspot.pt

Melodias-me

|


Por vezes gosto de me deixar dançar quando te penso
Sinto a leveza do meu sentimento
Que é por vezes difícil de expressar
Mas que para mim é tão natural ...pois sinto-o
E uma calma que me liberta
Que me torna mais eu e
Sei que este sentimento e desejo
Tem dias que não me chega e quero mais
Mas também sei que é puro e verdadeiro
E que me trás sempre um sorriso a cara
Até nos momentos mais inesperados
Por isso me sinto completo
E deixo me dançar no que sinto por ti
Numa melodia
Onde o meu coraçao é a tua pauta
O meu sorriso os teus violinos
No meu rosto é o contrabaixo e resto de cordas
Os meus lábios o piano
Mas é com o olhar que comandas a orquestra
E as notas da musica que danço
Saem pelo teu olhar.
Hoje não me apetece roubar te para mim
Hoje apetecia me mais partilhar te com o mundo
E vermos as mesmas ruas com este mesmo olhar
Com esta mesma melodia que me fazes sentir
.
Alem disso, hoje não é para ficares em casa.
.
.


Tardes de sexta feira

|


Há dias que o tempo passa rápido
Mal se dar por ele
Ao menos que não preciso de me procurar
Pois sei que estou perdido em ti
É mais fácil procurar te
E encontrar me no teu beijo
Dias que nem da tempo para desarrumar as saudades
Mas que sempre chega para mais um abraço
Dias que mal dá para apreciar a companhia
Mas que sabe bem senti-la ao lado
Depois há estes dias
Que o coração esta na sombra da tua ausência
E que falta o brilho desses dias
Para me aquecer
Sabes até um olhar frio teu
Me iria fazer aquecer a alma
Mesmo que fosse de manha de 2º gelados
...nunca pensei nisto
Mas que bela de uma tarde
Para estendermos a nossa roupa...
.
.


foto: Hugopmgoncalves


sofá

|


Talvez no avesso da mente
Possa me encontrar a olhar me a teu lado
Sem que isso me faça saudades
Como espectador invisível
De uma ternura sem palavras.
Mas sei que me falta o sobressaltar do teu corpo
O teu sorriso que me faz beijar o céu
Cheirar o paraíso do teu cabelo
E o toque de alma que é a tua pele
Faz me falta habitar o teu olhar
Mas sabes?
Adoro sentir as tuas palavras
Percorrem me o corpo
Algumas até me respiram o peito
E as lembranças de ti não são apenas passado
Mas sim marés fortes que me alagam o sentir
Por isso sim sou feliz
Posso ter a sede de um deserto por vezes
Mas serás sempre um mar abundante no meu desejo
Por isso que interessa o tempo?
Quando se ama tudo se torna relativo
E algumas coisas irrelevantes
Agora só me apetecia despentear te
E sorrir....
Coisas pequenas...que são tão grandes..
.



Voar

|

Talvez numa praia vazia
Eu adormeça
Sonhando quem sou e quem tu és
Caminhando ao longo da costa
Rebentam não ondas
Mas memorias de um sonho...
Em que passamos toda a noite a falar de ti
De nós
E quando o dia nasceu
Os nossos olhos se fecharam
Num olhar de quem quer dizer mais
E depois acordo


O que acontece quando te abraçar finalmente?
Onde guardo esta diária rotina de te esperar?
Sabes quando tens o melhor de ti
Pegas e guardas na caixa mais bonita
Enfeitas bem com o mais perfeito embrulho
Mas parece que nunca encontras o laço certo para o presente?
E quando o encontras ...a quem o vais dar?
...só me apetece voar
voar
.
.